Em Minas, Muzambinho dobra sua população durante o Carnaval

0

A comemoração carnavalesca começou pequena, com um grupo de amigos, que fizeram camisetas personalizadas e desfilaram no centro da cidade. No ano seguinte, contrataram um carro de som para animar o público.

Vinte anos se passaram e, hoje, o Carnaval de Muzambinho (MG) quase dobra a população da pequena cidade mineira até terça-feira (5) e ocorre num parque com área de 40 mil metros quadrados, que abrigará 17 atrações.

Após ter recebido desde sábado (2) shows de Wesley Safadão, Steve Aoki, Zé Neto e Cristiano e Alok, entre outros, nesta segunda-feira (4) as principais atrações são Dennis DJ, Tomate e Vintage Culture. Na terça (5), será a vez de Gusttavo Lima e Cheiro de Amor.

São esperadas até 20 mil pessoas em cada uma das noites, o que significa dobrar a população local, estimada pelo IBGE em pouco mais de 20 mil habitantes.

Sem hotéis para comportar o fluxo turístico e com economia baseada na produção de café, a saída encontrada pelos moradores é alugar seus próprios imóveis para os visitantes e garantir uma renda extra.

“A população abre as próprias casas para os foliões, que chegam a ser alugadas por R$ 1.500, R$ 2.000 para os quatro dias. Se tiver piscina, conseguem até R$ 3.000”, afirmou Thadeu Varoni, produtor do evento.

A estimativa é que o Carnaval movimente R$ 25 milhões na cidade até terça-feira (5), incluindo hospedagem, alimentação, transporte e convites para o evento.

VERMES E CIA
O Carnaval, organizado pelo Bloco Vermes e Cia, passou a ter ainda mais visibilidade nacional com a publicidade dada pelo jornalista Milton Neves, natural do município e ferrenho defensor da folia mineira.

“Atenção, Brasil, o melhor Carnaval que existe é o de Muzambinho. Minha terra ‘goleia’ Rio, Salvador, São
Paulo e qualquer cidade do país. Somos 20 mil habitantes ‘papudos’ e outros 20 mil forasteiros passam quase uma semana por lá”, postou o jornalista em redes sociais na última semana.

Em outra postagem, ainda brincou com o fato de a cidade ter uma pequena rede hoteleira. “Não temos hotel, mas o povo aluga parte de suas casas para os visitantes. E muitos ficam em hotéis de nossas ‘cidades satélites’, como Poços de Caldas, Guaxupé e Alfenas.”

Uma dessas casas foi ocupada pelo consultor Antônio Carlos Parreira, que ficou num imóvel pertencente a um tio. “É a terceira vez que passamos o Carnaval em Muzambinho. A atmosfera da cidade é incrível.”

ESTRUTURA
Para receber esse público e as atrações, o Carnaval ocorre num espaço denominado Parque Folia, que abriga áreas como camarote com bebida e comida liberada. A festa toda é open bar.

Os dias são marcados por comemorações temáticas. Sábado era a noite do branco, com todos usando roupas nessa cor, enquanto o domingo (3) marcou a celebração do aniversário do bloco.

Nesta segunda, é a vez de os foliões usarem fantasias e, na terça, abadás. Os ingressos custam a partir de R$ 70.

Fonte Marcelo Toledo Folha UOL