Junho é o mês de conscientização da infertilidade, problema que atinge de 50 a 80 milhões de pessoas no mundo

0

Com dados tão alarmantes, é bastante comum conhecer alguém ou já ter ouvido algum parente ou amigo comentar sobre um caso de infertilidade. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que o número atualizado de quem sofre com o problema é de 15% de pessoas em todo o mundo. Em números, são entre 50 e 80 milhões de pessoas no mundo. No Brasil, estima-se que 8 milhões. A doença deve ser levada a sério, pois além de impossibilitar o sonho de ter filhos, pode trazer consequências mais graves a depender do que a esteja causando. O fato é que a dimensão da doença fez com que o mês de junho fosse escolhido como mês mundial de conscientização. É considerado infértil, o casal que já tenta engravidar sem o uso de métodos contraceptivos há mais de um ano, sem sucesso. Mas não é necessário entrar em pânico ao detectar dificuldade em engravidar. Isso porque os números crescentes de sucesso em tratamentos de reprodução assistida têm sido um alento aos pacientes.
“Os índices são alarmantes e embora muita gente simplesmente desista do sonho ou imagine que ser infértil é algo comum, é importante que se investigue o que está causando essa situação. Hoje, com o avanço da medicina reprodutiva e da tecnologia, em muitos casos é possível reverter ou tratar, de modo que o casal possa seguir com o tão sonhado crescimento da família”, explica a especialista em reprodução humana, Dra. Genevieve Coelho, Diretora Médica da clínica IVI Salvador.
O avanço das técnicas na medicina reprodutiva tem trazido alívio a pessoas que sofrem com infertilidade. Um levantamento realizado no IVI Salvador mostra que entre 2018 e 2019, a eficácia de fertilizações com óvulo próprio foi de 40,29% no primeiro tratamento. No Segundo, sobe para 58,2%. Já no terceiro, o índice chega a 69,73%. A análise PGT, Teste Genético Pré-Implantacional é um dos fatores que colabora muito no sucesso da Fertilização In Vitro (FIV). É um processo que identifica os embriões com alto potencial de implantação através da análise dos genes e cromossomos.

Tratamentos no contexto da COVID19

Diante do contexto da pandemia da COVID19, a clínica IVI Salvador desenvolveu um protocolo para oferecer máxima segurança aos pacientes. Todas as medidas de proteção sugeridas pelos órgãos regularizadores foram adotadas e envolvem tanto a equipe da clínica quanto os pacientes e os ambientes físicos, trazendo a segurança que o momento exige. Além disso, a clínica segue em funcionamento com as opções de consulta online ou presencial.
Em relação aos protocolos, a clínica se baseia no Ministério da Saúde, Anvisa e nos órgãos de reprodução humana assistida: SBRA – Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida e REDLARA – Red Latinoamericana de Reproducción Asistida que permite o tratamento em pacientes que tenham suas fertilidades comprometidas, entre eles, pacientes oncológicos, com baixa reserva ovariana, acima dos 38 anos e pacientes que necessitem de congelamento de sêmen com fator grave. Outros pacientes devem ser submetidos à avaliação médica. As transferências embrionárias e ovodoação estão suspensas aguardando pesquisas e informações atualizadas dos órgãos.

Causas da Infertilidade

No caso das mulheres, a causa mais comum de infertilidade é a endometriose. A doença, que tem sintomas bastante semelhantes às dores da menstruação, às vezes chega a demorar anos para ser identificada e quanto mais tardio o diagnóstico, mais difícil tende a ser o tratamento. “A endometriose não tem cura. O que precisamos é que as mulheres se cuidem, se conheçam e tenham um acompanhamento correto”, ressalta Dra. Genevieve. A idade também é um fator a ser analisado. Mulheres vão perdendo a capacidade reprodutiva ao longo da vida. Recomenda-se, inclusive, às mulheres que estejam perto dos 35 anos que façam o congelamento dos óvulos, de modo à preservar sua fertilidade. Mas a especialista alerta que o problema não é apenas das mulheres. A infertilidade do casal pode também ser ocasionada pelo homem.
A baixa contagem de espermatozoides ou a baixa qualidade do material é a principal causa nos homens. Ou até mesmo ambas combinadas. A idade do homem também interfere na qualidade do material genético. Acidentes na região peniana, como trauma, também pode gerar infertilidade. Ou ainda o uso de substancias anabolizantes. Para homem ou mulher, ter Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), também pode originar infertilidade. Outros fatores que podem vir a causar a doença estão ligados ao estilo de vida, consumo de bebidas alcoólicas, fumo, nível de estresse e qualidade da alimentação. “Se o casal vem tentando normalmente engravidar, sem sucesso, é interessante que procurem logo um especialista que vai investigar a causa dessa infertilidade. Evitar desgastes na relação por causa desse insucesso momentâneo é fundamental”, conta Dra. Genevieve.

Sobre o IVI – RMANJ

IVI nasceu em 1990 como a primeira instituição médica em Espanha especializada inteiramente em reprodução humana. Desde então, ajudou a criar mais de 200.000 crianças, graças à aplicação das mais recentes tecnologias em Reprodução Assistida. No início de 2017, a IVI fundiu-se com a RMANJ, tornando-se o maior grupo de Reprodução Assistida do mundo. Atualmente tem 60 clínicas em 9 países e é líder em Medicina Reprodutiva. Em 2020, a unidade IVI Salvador completa 10 anos. https://ivi.es/ – http://www.rmanj.com/    

 

PIPA COMUNICAÇÃO