Maçonaria demais entidades da sociedade civil organizada solicitarão ao comando Geral do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia a implantação de um subgrupamento em Itamaraju.

0
Na manhã desta quinta-feira (06), aconteceu no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas, em Itamaraju, uma reunião com representantes de entidades da sociedade civil organizada que teve como pauta a necessidade de implantação de um subgrupamento do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia, no município.
Participaram da reunião às seguintes representatividades: Sidney Rodrigues de Oliveira e Gilney Rodrigues Ventura, respectivamente, Presidente e 2⁰ Vigilante da Loja Maçônica Templo de Salomão, Jorge Luiz da Silva Lima, Presidente da Loja Maçônica Deus Caridade e Justiça, João Ademir Fontes de Araújo, Presidente da OAB, Soldado Diego Barboza, Diretor Regional da Associação de Praças de Teixeira de Freitas (Regional de Itamaraju), Everaldo Santos Melo, Presidente do Sindicato Rural, Heloísa Helena Alves, Presidente da CDL, Luiz Carlos Arcebispo dos Santos, Presidente do Sindcomercio, e Paulo Vítor Moreira Costa, representante do Lions Club.
Na reunião, que foi presidida pelos representantes da Maçonaria, foi feita uma exposição de motivos que justificam a necessidade de implantação de uma unidade do Corpo de Bombeiros no município, em razão da mais próxima ficar sediada no município de Teixeira de Freitas, o que dificulta o atendimento das demandas de Itamaraju em situações emergenciais, como já ocorreu em alguns momentos. As entidades, então, baseando-se no fato do Corpo de Bombeiros estar instalando subgrupamentos em outras cidades baianas, a exemplo de Eunápolis, decidiram-se pela formalização de uma solicitação junto ao Comando Geral da Corporação.
Ao término da reunião, os representantes da entidades assinaram um abaixo-assinado, no qual justificaram os motivos da solicitação. O documento em questão, que será enviado para apreciação do Coronel BM Adson Marchesini, Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia, consta a indicação de dois imóveis, um pertencente ao Estado e outro ao município, para instalação, em caso de deferimento.