Em Feira de Santana, Bolsonaro destaca reajuste do Auxílio Brasil e ‘baixa’ dos combustíveis

0
Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Em discurso na manhã desta sexta-feira (1), durante assinatura para início das obras do rodoanel de Feira de Santana, o presidente Jair Bolsonaro elencou algumas ações do seu governo, como a redução de impostos federais e a aprovação pelo Senado o projeto que visa aumentar o Auxílio Brasil de R$ 400 para R$ 600.

Falando para seus apoiadores, Bolsonaro reafirmou seu compromisso com pautas conservadoras e destacou que sua gestão está em uma ‘luta do bem contra o mal’.

“Amigos de Feira de Santana, da Bahia e do nosso Nordeste, bom dia a todos. Mais do que uma das milhares de obras que o nosso governo está fazendo ou concluindo, obviamente que emociona todos nós, é o sentimento de patriotismo, de brasilidade cada vez aparecendo mais nos quatro cantos do nosso Brasil. Não tem preço, cada vez mais vemos prevalecer as cores verde e amarela em nosso território brasileiro. Cada vez mais longe do vermelho, que mostra que está profundamente ligado à corrupção, e aos desmandos. O nosso governo está em sintonia com o povo brasileiro. Nós somos contra o aborto, a liberação das drogas, a ideologia de gênero, e somos favoráveis ao armamento do cidadão de bem. Somos contra a emprestar dinheiro público para a ditadura. O governo que, desde o primeiro dia, esteve ao lado do povo”, afirmou.

Baixa dos combustíveis

O presidente comemorou a baixa no preço dos combustíveis, que segundo ele ocorreu devido à redução dos impostos federais. Ele ainda desafiou os governadores do Nordeste e declarou que eles tentam ‘extorquir a população’.

“Eu perguntaria a vocês: estão gostando da baixa dos combustíveis? Há pouco me culpavam pelo aumento, quando baixa, muitos se calam. É um trabalho nosso, começou com o Governo Federal abrindo mão dos seus impostos. Como eu disse, começou conosco reduzindo ou zerando os impostos federais. Agora chegou a vez dos 27 governadores do Brasil. Uma lei sancionada por nós há pouco, obrigou de que estabelecia-se um teto dos impostos estaduais, a maioria dos governadores já começaram a reduzir o preço dos impostos estaduais. Infelizmente os 9 governadores do Nordeste entraram na Justiça contra a redução de impostos estaduais. Não querem colaborar com o povo, não se preocupam com a sua população, querem arrecadar de vocês, cada vez mais extorquir o contribuinte brasileiro”, reiterou.

Auxílio Brasil

O presidente Jair Bolsonaro citou também que, além do reajuste do Auxílio Brasil, o governo dobrou o valor do auxílio-gás para os brasileiros e realizou diversas ações na economia.

“Quero dizer a vocês que somente com o endividamento da Petrobrás feito pelo governo vermelho, que equivaleu a R$ 900 bilhões daria para fazer 60 vezes a transposição do Rio São Francisco, ou seja, não falta dinheiro na nossa nação para atender a população. O que faltava era gente honesta para administrar o nosso Brasil. Nos dias difíceis que tivemos em 2021, quando a grande maioria dos governadores fechou tudo pelo Brasil, contra a minha vontade, nós estendemos a mão para a população mais carente. Gastamos com o Auxílio Emergencial, somente no ano de 2020, o equivalente a 15 vezes o valor do Bolsa Família. Depois criamos, via Banco Central, o PIX e hoje todos operam no Brasil dos mais humildes ao microempresário. As vagas de emprego crescem cada vez e no mês passado batemos o recorde no país.

No nosso governo, em que a pandemia trouxe muita coisa ruim para nosso país e lamentamos todas as mortes, mas também nós trabalhamos duro, tanto é verdade que o Brasil passou da 13ª para a 10ª economia do mundo. Além do PIX, aumentamos o prazo da carteira nacional de habilitação de 5 para 10 anos, e uma coisa muito importante é que temos mais de 1 milhão de jovens, que se endividaram no Fies e nós demos um perdão de 99% das suas dívidas, dando dignidade a esses estudantes. E o último assunto é que praticamente acabamos com o movimento do MST pelo Brasil, porque a grande maioria dessas pessoas é de trabalhadores humildes e de bem, mas eram escravizados pelas lideranças do MST”, discursou.

Informações do Acorda Cidade