Segurança Viária: Ilhéus adere ao Programa Vida no Trânsito

0

A Prefeitura de Ilhéus aderiu ao Programa Vida no Trânsito (PVT), iniciativa que consiste na prevenção e redução pela metade das mortes e ferimentos por acidentes em rodovias e áreas urbanas. O decreto foi assinado pelo prefeito Mário Alexandre na manhã de sexta-feira (16), durante o 4º Congresso e Seminário de Formação dos Profissionais e Agentes de Trânsito do Estado da Bahia.

“Mais uma ação para reduzir os índices de acidentes e mortes na nossa cidade. Com o apoio do Sindatran e de diversos parceiros, vamos implantar o Programa Vida no Trânsito. Todos os investimentos em infraestrutura e mobilidade fortalecem esse trabalho de segurança viária, mas também é importante que a população entenda e cumpra o seu papel. A mudança de atitude é fundamental para que a gente alcance resultados positivos”, ressaltou o gestor.

A iniciativa chega ao município por meio do Sindicato dos Agentes de Trânsito do Estado da Bahia (Sindatran Bahia). O PVT visa cumprir as metas estabelecidas pela Segunda Década de Ação para Segurança Viária, no período compreendido de 2021 a 2030. O projeto é coordenado pelo Ministério da Saúde, em cooperação técnica com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Conforme Valério Bomfim, presidente do Sindatran, Ilhéus é a segunda cidade baiana a implantar o programa, que atualmente engloba todas as capitais do Brasil e os municípios com mais de um milhão de habitantes.

“Parabenizo o prefeito por entender a importância das ações de caráter socioeducativo, que intensificam o trabalho que já vem sendo desenvolvido pelo Município. Queremos informar, alertar e mobilizar a população para que adote comportamentos seguros, com vistas à redução de acidentes e mortes no trânsito”, destacou Bomfim.

As tratativas estão sendo feitas entre a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), através do Núcleo Regional Sul (NRS Sul), Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), Autarquia de Transporte e Trânsito (Sutram) e as entidades que comporão o Comitê Gestor, com a interveniência do Sindatran Bahia.

Dados – No Brasil, o alto índice de mortes e sequelados no trânsito gera gastos anuais que ultrapassam a casa dos R$ 50 bilhões, além de onerar a Previdência Social e reduzir a força produtiva do país, sendo as vítimas, em sua grande maioria, homens com idade entre 20 e 39 anos, de acordo com o DataSUS.

No ano passado, somente nas rodovias federais, o custo estimado com acidentes atingiu R$ 12,2 bilhões, segundo levantamento da Confederação Nacional do Transporte (CNT).

por Secom