Na Bahia, grupo protesta a favor de impeachment da presidente Dilma

0
Caminhada em Salvador começou por volta das 11h no Farol da Barra (Foto: Henrique Mendes/ G1)

Milhares de pessoas participaram de um protesto a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, na manhã deste domingo (13), no Farol da Barra, cartão postal de Salvador. A manifestação começou por volta das 11h e chegou ao fim por volta das 13h. Segundo a Polícia Militar, cerca de 20 mil pessoas participam do movimento, que ocorreu de forma pacífica. A organização do movimento estima que o ato reuniu cerca de 50 mil participantes.
Organizadores coordenaram o ato em cima de um minitrio e disseram que a mobilização deste domingo foi o movimento contra o governo Dilma com o maior número de participantes até agora em Salvador.

Muitas pessoas que participaram do protesto levaram cartazes com pedido de impeachment da presidente Dilma Roussef. Outros pediram, também por meio de faixas e cartazes, a prisão do ex-presidente Lula. Houve demonstrações de apoio ao juiz federal Sérgio Moro, que conduz os processos da Operação Lava Jato.

Cerca de um hora após a saída do Farol da Barra, os manifestantes chegaram ao Morro do Cristo, na orla da Barra, onde fizeram uma oração e um “aplaudaço” em favor do juiz Sérgio Moro.
Em seguida, o grupo retornou ao Farol, onde chegou por volta das 12h30. Os manifestantes começaram a dispersar logo depois. PM e Transalvador monitoraram o protesto, que durou pouco mais de duas horas.

Movimento Brasil Livre (MBL), Movimento Patriotas do Brasil (MPB), Ordem dos Médicos do Brasil (OMB) e o Movimento Vem para Rua participaram do protesto.
Manifestos
Vestidos de verde e amarelo, os manifestantes começaram a concentração por volta das 9h. Crianças, adultos e idosos participam do protesto. Antes de iniciarem a manifestação, o grupo cantou o hino nacional em frente ao Farol da Barra.

Luiz Mott, fundador do Grupo Gay da Bahia (GGB), foi um dos participantes da mobilização. “Fora Dilma. Fora PT. Vocês arruinaram esse país. Nunca foram assassinados tantos gays e travestis do que nos governos Dilma e Lula. Temos que defender os direitos das minorias. Esse governo prometeu muito e não fez nada”, disse.

“Viemos pedir o impeachment de Dilma. Não faltam motivos”, afirmou César Leite, representante do Movimento Vem pra Rua e também da Ordem dos Médicos do Brasil.
Em coro, parte dos manifestantes pediu a prisão do ex-presidente Lula e saída de Dilma Rousseff da presidência do Brasil. Ainda na concentração do protesto, participantes assinaram um documento que pede a desvinculação da Polícia Federal do Ministério da Justiça. Fotos: Henrique Mendes/ G1


“A Polícia Federal tem que estar vinculada ao Poder Judiciário e não a um Ministério, que tem indicação política”, defende Isabel Delmontes, integrante do Movimento Nas Ruas.
Ricardo Almeida, coordenador do MBL, destacou que pela quinta vez manifestantes vêm às ruas pedir a saída de Dilma Rousseff da presidência. “Trouxemos nos protestos uma série de pautas proposição, como redução dos ministérios e criação específicas de CPI’s. Nunca houve diálogo, porque a cada dia a popularidade de Dilma se reduz e a crise se agrava”, afirma.

Almeida ainda defende a prisão de Lula. “É um pedido do nosso movimento também. A aura que Lula tinha se desfaz”, acredita. Fonte: Henrique Mendes Do G1 BA