Mulher usa pedaço de madeira para matar cachorro que estaria incomodando as suas cadelas em Teixeira de Freitas

0
Foto Divulgação TN

No fim da tarde deste sábado, dia 2 de abril, foi conduzida à sede da 8ª Coorpin de Teixeira de Freitas, Marilene Costa Pereira, de 55 anos, moradora da rua Nova Esperança, nº 57, no bairro Tancredo Neves, região oeste da cidade, pelo de fato de a mesma atacar e matar um cachorro vira-lata a golpes de pau.

Um vizinho filmou a ação da mulher, que após acertar pauladas na cabeça do animal, o arrasta por uma das patas e entra no beco de sua casa, onde o cão seria jogado, até que o caminhão que faz a coleta do lixo passasse. O morador denunciou a brutalidade e os policiais da 87ª Companhia Independente da Polícia Militar de Teixeira de Freitas (CIPM), foram ao local e detiveram a acusada.

Durante o seu depoimento ao delegado Júlio César Telles, de plantão na sede da 8ª Coorpin, Marilene contou que estaria embriagada e tomou a atitude de matar o cão pelo fato de o mesmo permanecer diariamente em frente à sua casa, onde tentaria atacar as pessoas. Vizinhos não aceitam a versão e contam que a acusada matou o animal pelo fato de o mesmo permanecer em frente ao seu portão, onde a mesma criaria duas cadelas.

Matar cachorro – ou qualquer outro animal – é crime. Não importa se o animal é doméstico, domesticado, silvestre, nativo ou exótico. O que trata disso é o artigo 32 da Lei dos Crimes Ambientais, de 1998. A lei prevê detenção de três meses a um ano, além de multa, para quem “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar” qualquer tipo de animal. Se houver a morte do animal, a pena aumenta até um terço. (Por Ronildo Brito) TN